Toninho

Toninho era um garoto cheio de imaginação e, também, muito levado.

Certa vez, despertado por uma canção de ninar,

Passou o dia todo sonhando acordado.

Sonhou…

Que voava alto, no céu, sustentado apenas por um enorme balão de bolha de sabão.

Que pulava, todo pimpão, seguindo à risca uma linha traçada a giz no chão.

Que cantava debaixo de uma ducha de bolinhos de chuva.

Que andava pela rua e ria-se ao ver toda a gente nua.

Que cavalgava um unicórnio alado por uma vasta planície de capim dourado.

Que subia e descia numa gangorra que flutuava em meio à névoa.

Que brincava na calçada, riscando amarelinhas com um pedaço de cocada.

Que velejava por um mar calminho, num barco à vela que, por uma leve brisa, era tocado com carinho.

Que trazia na cabeça uma fralda, à maneira da touca da Vovó Mafalda.

Que descia por um elevador que, a cada apertar de botão, emitia apitos como um barco a vapor.

Que viajava pelo espaço e via a Terra de longe, parecendo uma pequena bola de gude d’água, cheia como um açude.

Que desenhava histórias em quadrinhos, em que as personagens falavam-se sem a ajuda dos balõezinhos.

Que cantava um fado que, de tão jovial, mais parecia uma marchinha de Carnaval.

Por fim, que acordava em um mundo em que reinava a paz…, mas isso seria sonhar demais.

Cansado, acabou caindo no sono, indo sonhar os sonhos que sonhamos de olhos fechados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s